Blog Magnus

    Como evitar lesões no ciclismo?

    Por Magnus Personal Trainer em

    Como qualquer modalidade que demande esforço físico, o ciclismo também pode acarretar algumas lesões que causam desconforto no praticante.

    As lesões podem ser provocadas por quedas ou por uma má regulação de altura e peso da bicicleta, por exemplo. Além disso, a prática excessiva, que supere os limites fisiológicos do praticante, também pode ser prejudicial.

    Algumas áreas do corpo, como lombar, ombros, mãos e joelhos são mais sensíveis para o surgimento de lesões. Apesar disso, em comparação com outros esportes de execução repetitiva de movimentos, como corrida ou futebol, o ciclismo é uma atividade física com baixo impacto. Como consequência, são raras as lesões.

    Prevenindo lesões

    O tipo de lesão vai variar de acordo com a modalidade de ciclismo praticada. Nas modalidades downhill, BMX, MTB e speedbike, por exemplo, as lesões traumáticas são muito comuns.

    As quedas podem gerar fraturas na clavícula e punhos, além dos riscos de concussão na cabeça. Estes casos demandam um atendimento urgente, bem como longas semanas de recuperação.

    Para prevenir estes tipos de lesão, não há nada mais recomendável do que utilizar equipamentos de proteção adequados, como capacetes, óculos e luvas. Também se exige um conhecimento básico sobre as técnicas do tipo de terreno.

    Também há as lesões por sobrecarga. Ocasionadas por mau ajuste das dimensões da bicicleta que, por sua vez, resultam na má postura do ciclista, elas afetam mais a parte inferior do corpo. Sendo assim, costumam surgir dores lombares, atingindo o músculo piriforme e levando a dor para quadris e pernas.

    A sobrecarga afeta ainda os joelhos, podendo provocar tendinopatia patelar e tendinite do trato iliotibial.

    A melhor maneira de prevenir as lesões por sobrecarga é ajustar a bicicleta ao ciclista, principalmente em pontos de contato, como a sapatilha, o selim e o guidão.

    Ao mesmo tempo, devem ser regulares os exercícios de alongamento e treino de força, com o fortalecimento e aumento da capacidade muscular de glúteo, abdômen e lombar.

    Região do períneo

    A permanência do ciclista sentado no selim por um tempo muito prolongado pode induzir o surgimento de lesões neurológicas do nervo. Dependendo do tempo de exposição, do tipo de banco e da postura ao pedalar, sem descartar também uma predisposição do atleta, a área perineal pode sofrer perda de sensibilidade.

    Em casos mais extremos, o atleta pode até sofrer de impotência sexual. Também relacionado a isso pode surgir uma lesão conhecida como parestesia peniana. Ela é marcada por uma falta de sensibilidade e dormência na região entre as pernas.

    Para evitar lesões assim, o indicado é utilizar bermuda de ciclismo com o forro produzido por uma espuma de alta densidade. Também pode ser interessante usar um selim vazado no centro, permitindo que a pressão nessa área seja aliviada.

    Lesões nas mãos

    O tempo excessivo de contato firme das mãos ao guidão da bicicleta acarreta o risco de surgimento das síndromes do Tunel do Carpo e do Canal de Guyon, ambas relacionadas com o formigamento das mãos.

    Para preveni-las, é essencial fortalecer o Core, através de uma prescrição adequada realizada por um personal trainer, por exemplo.

    Gostou do conteúdo? Continue no blog para acessar mais artigos. Em caso de dúvida, entre em contato conosco pelo WhatsApp 46 99103-6358.